25 Fatos e curiosidades sobre a TV Cultura

25 Fatos e curiosidades sobre a TV Cultura

A TV Cultura foi fundada em 1 960 pelos Diários Associados, do jornalista Assis Chateaubriand, e reinaugurada em 15 de junho de 1 969 pela Fundação Padre Anchieta.

Instituída pelo governo do estado de São Paulo, a Fundação Padre Anchieta é uma fundação governamental com autonomia administrativa, política e intelectual. É proprietária da TV Cultura e das rádios Cultura AM e FM.

A primeira sede da TV Cultura foi no 15º andar de um edifício na rua Sete de Abril, no Centro de São Paulo. Todos os funcionários pertenciam à extinta TV Tupi, também de propriedade dos Diários Associados. Ela foi vendida ao governo do estado de São Paulo em 1 969.

O primeiro programa exibido pela emissora foi um episódio da série de documentários Planeta Terra.

Um incêndio quase destruiu a sede da emissora – dessa vez no bairro paulistano da Água Branca –, em 1 986. Ela chegou a ficar três horas fora do ar e para voltar a transmitir, teve que tomar equipamentos emprestados da Rede Globo, TV Bandeirantes e Rede Manchete. Num gesto de boa vontade, as emissoras cederam até suas ilhas de edição.

Com parte de estrutura e capacidade de transmissão destruída, os programas de entrevistas, debates e prestação de serviços eram gravados com os novos estúdios ainda em construção.

Com estúdios, equipamentos e até uma antena nova no bairro paulistano do Sumaré, a TV Cultura passa a transmitir uma programação mais voltada para o entretenimento infantil e informação. Deixa o RTC (sigla que significava Rádio e Televisão Cultura) de lado para se chamar apenas Cultura. Foi desse modo que teve início a melhor fase da história da emissora, com picos de até 14 pontos na audiência.

O assassinato do jornalista Vladimir Herzog, em 1 975, foi um dos piores momentos da história da Cultura. Diretor de jornalismo da emissora, “Vlado” foi encontrado morto numa cela do então DOI/CODI (Destacamento de Operações de Informação/Centro de Operações de Defesa Interna), um órgão de repressão do regime militar brasileiro.

O talk-show Roda Viva entrou no ar em setembro de 1 986, sendo um dos programas mais antigos ainda no ar pela emissora. O Jornal da Cultura estreou quase na mesma época.

O primeiro programa Metrópolis, voltado para as artes e o entretenimento, entrou no ar em 1 988.

O programa infantil Rá-Tim-Bum surgiu em 1 990. Com uma equipe de roteiristas chefiada por Flávio de Souza, contou com ninguém menos que Fernando Meirelles na direção. Anos depois, Meirelles se tornaria mundialmente conhecido pelo filme Cidade de Deus.

Entre os integrantes da equipe de atores de Rá-Tim-Bum, vale lembrar de Marcelo Tas e Carlos Moreno. Como todos sabem, Tas fez parte do elenco de Castelo Rá-Tim-Bum e CQC (um programa exibido pela Band). Moreno foi por mais de duas décadas garoto-propaganda da esponja de aço Bombril.

Exibida entre 1 994 e 1 997, o Castelo Rá-Tim-Bum recebeu a medalha de prata como melhor programa infantil do Festival de Nova York (1 994).

O Castelo Rá-Tim-Bum teve mais de 90 episódios que, no total, envolveram 6 mil horas de gravação.

Criado por Flávio de Souza e protagonizado por Luciano Amaral, a série Mundo da Lua teve 52 episódios. Estreou em maio de 1 994. Contava no elenco fixo com dois atores emprestados pela Rede Globo: Antônio Fagundes e Gianfrancesco Guarnieri. Ela conseguiu um feito raro na televisão brasileira: tornar-se uma produção de outra emissora transmitida pela Globo.

Mundo da Lua deu origem a uma pequena continuação chamada Lucas e Juquinha – Perigo, Perigo, Perigo!, com cinco episódios de cinco minutos.

Um dos programas infantis de maior longevidade é Cocoricó. Com formato de seriado, ele estreou em 1 996 e é exibido até hoje. É um dos campeões de licenciamento da TV Cultura, com CDs, DVDs, brinquedos, revistas e outros produtos lançados no mercado.

Em 2 014, a Cultura foi eleita através de uma pesquisa feita pelo instituto britânico Populus, a segunda melhor emissora de TV do mundo. A melhor é a londrina BBC One.

Em toda a sua história, a emissora recebeu mais de 400 prêmios internacionais e nacionais, principalmente pela qualidade da programação.

A Fundação Padre Anchieta criou em dezembro de 2 004 uma emissora totalmente voltada para o público infanto-juvenil: a TV Rá-Tim-Bum. Entre os programas exibidos pela nova emissora constam Rá-Tim-Bum, Glub-Glub, Cocoricó e Castelo Rá-Tim-Bum.

A TV Cultura exibiu diversos seriados britânicos e norte-americanos de sucesso mundial, entre os quais Anos Incríveis, Mad Men, Downtown Abbey, House of Cards e Sherlock. Uma das mais reprisadas é a série britânica clássica Dr. Who.

A emissora exibiu também as duas últimas versões do Sítio do Pica-pau Amarelo para a TV, ambas produzidas pela TV Globo.

O mais antigo programa musical da TV brasileira é o Viola, Minha Viola. Especializado em música caipira, estreou na Cultura em maio de 1 980. Foi inicialmente apresentado por Moraes Sarmento, Nonô Basílio e Inezita Barroso, que comandou o programa até sua morte, em março de 2 015.

Criado em 1 992, durante a Rio 92, o Repórter Eco é o primeiro programa da TV brasileira especializado em meio ambiente.

Um dos programas infantis de maior sucesso na emissora durante a década de 1 970, foi Vila Sésamo. Ele tinha em seu elenco ninguém menos que Aracy Balabanian, Armando Bogus e Sônia Braga. Foi a primeira adaptação feita no mundo de Sesame Street, um programa norte-americano criado por Jim Henson/Muppets.

Fontes: Wikipédia, TV Cultura, Associação Brasileira de Pesquisadores de História da Mídia, Almanaque Anos 70.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *