25 Fatos peculiares e curiosidades sobre a apresentadora Hebe Camargo

Curiosidades sobre a Hebe Camargo

Hebe nasceu na cidade paulista de Taubaté, Vale do Paraíba, em 1 929.

O nome completo da apresentadora Hebe Camargo era Hebe Maria Monteiro de Camargo Ravagnani.

Pouca gente sabe, mas o primeiro nome artístico escolhido pela apresentadora foi Magali Porto. Se ela não voltasse a usar seu nome de batismo, nós provavelmente teríamos assistido o Programa Magali pelo SBT.

Hebe fez parte do grupo que foi ao porto de Santos receber os equipamentos que dariam origem à primeira emissora de TV brasileira: a Tupi.

Hebe iria participar da cerimônia de inauguração da TV Tupi, mas teve que faltar, sendo substituída pela amiga Lolita Rodrigues. Dizem que ela iria cantar o Hino da Televisão na cerimônia.

A carreira de apresentadora começou quando ela teve que substituir Ary Barroso em seu programa de televisão.

Em 1 955, apresentou o primeiro programa feminino da TV brasileira, chamado O Mundo é das Mulheres, com direção de Walter Forster.

Hebe estreou como cantora aos 15 anos de idade, quando participou de um programa da rádio Tupi chamado Clube do Papai Noel.

Hebe formou com a irmã Stela e duas primas, um quarteto chamado Dé-Ré-Mi-Fá. Com o fim do grupo, Hebe e Stela lançaram-se como a dupla sertaneja Rosalinda e Florisbela.

Depois que passou a cantar sozinha, recebeu diversos epítetos, como Estrelinha do Samba, Moreninha do Samba, Vitamina do Samba, Morena Brejeira do Samba e por aí vai (isso mesmo que você imaginou: Hebe já cantou muito samba).

Em 1 967, participou de um dos famosos festivais da TV Record cantando a música “Vai Amanhã”. Apesar de ter sido vaiada o tempo inteiro, cantou a música até o final. Depois disso, Hebe nunca mais voltou a se apresentar em festivais.

Hebe foi casada duas vezes, a primeira com Décio Capuano, e a segunda, com Lélio Ravagnani. Ela teve um único filho, Marcello Camargo.

Em julho de 1985, durante o programa na TV Bandeirantes, jogou o microfone no chão para reclamar da emissora. Pediu coisas como um novo cenário, mais pessoas na produção e uma orquestra para acompanhar o programa. A emissora prometeu atendê-la.

Também em 1985, recebeu o convite para posar nua para a revista Playboy, mas recusou. “Se não fiz quando tinha 18 anos, não é agora que vou fazer”, disse.

O selinho, uma das suas marcas registradas, surgiu de uma brincadeira com a cantora Rita Lee, em 1 997.

Em 1990, Hebe recebeu o título de a personalidade que tem A Cara de São Paulo, título que voltou a receber em 2009 através de uma enquete da revista Veja SP.

Paulo Maluf, amigo de longa data da apresentadora, sugeriu que ela fosse prefeita de São Paulo. Claro que Hebe considerou a ideia “uma gracinha”, mas não quis levá-la adiante.

Católica devota, conversa em voz alta com todas as imagens de santos que tinha em casa. Chegava a levar uma de Nossa Senhora Aparecida e outra de Nossa Senhora de Fátima em todas as viagens, inclusive para o exterior.

Costumava dar casas de presentes a seus empregados.

Sua flor predileta era a rosa vermelha. Fazia questão de ganhar uma quando assistia aos shows do rei Roberto Carlos.

Hebe estreou no cinema em 1949, mas só voltou para as telonas em 2009, numa pequena participação no filme “Xuxa e o Mistério de Feiurinha”.

Uma última curiosidade: Hebe Camargo era originariamente morena. Tornou-se loira em 1952, depois de uma viagem aos Estados Unidos. “Me apaixonei pela loirice”, justificou na ocasião.

Nos 20 anos em que seu programa foi exibido pelo SBT, recebeu cerca de 6 000 pessoas em seu sofás. Aliás…

Nesses 20 anos em que seu programa foi transmitido pelo SBT, só não perdeu o prêmio de melhor apresentadora numa única ocasião. Quem levou o prêmio foi Adriane Galisteu.

 

Fontes: Wikipédia, SBT, Veja, BOL, Veja São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *