15 Coisas que você nunca imaginou sobre o sal de cozinha

15 Coisas que você nunca imaginou sobre o sal de cozinha

O sal comum, chamado também de sal de cozinha ou sal de mesa, é quimicamente conhecido como cloreto de sódio (formado a partir da reação do ácido clorídrico com a soda cáustica – propriamente um ácido e uma base).

A função do sal no organismo humano é controlar as substâncias que entram e saem das células. Graças a ele, a quantidade de nutrientes e água das células estão sempre regulados.

O sal tem um significado religioso para muitos povos. É o caso dos judeus, que consideram veem nele um símbolo da aliança de Deus com o ser humano. O pão do sabá é sempre molhado em sal. Aliás, tanto os judeus quanto os muçulmanos usam o sal para afastar o mau-olhado.

Os romanos costumavam pagar suas legiões com sal. Foi daí que nasceram as palavras soldo, salário e soldado (soldado era o legionário que recebia o salário em sal).

Os egípcios costumavam usar sachês de sal grosso para retirar a umidade do corpos dos mortos durante o processo de mumificação.

Uma das principais causas da hipertensão é o excesso de sal no organismo. Com muito sal na circulação sanguínea, o organismo retém mais água, provocando aumento no volume de sangue. O excesso de sal também provoca contração nas paredes das arteríolas, prejudicando a passagem do sangue.

A diferença entre o sal refinado e o sal grosso está no processo de refinamento. O sal de cozinha comum é lavado, moído, centrifugado, seco em alta temperatura e peneirado. Ele também recebe iodo antes de ir para a embalagem. Já o sal grosso mantém essa aparência por que o processo de recristalização é mais lento.

O iodo (ou iodato de potássio) é acrescentado ao sal a fim evitar uma doença da tireoide chamada bócio.

Sal na pele do sapo irrita, dói e provoca sufocamento no animal. Ele pula como um louco. Mas por quê o sal faz tanto mal para esse tipo de anfíbio? Simples, porque eles respiram pela pele. O sal “rouba” água do organismo e atrapalha a respiração do bicho.

As lesmas praticamente derretem, transformando-se em uma massa disforme, se jogarmos sal nelas. Como o sal é uma substância que absorve água, ele tira todo o líquido do corpo, matando o animal em pouco tempo. O mesmo acontece com os caracóis, com a diferença de que estes tem uma armadura para se proteger.

As vacas consomem sal para manter o equilíbrio das funções orgânicas. A formação dos ósseos e mesmo a contração muscular do animal dependem muito da quantidade de cloreto de sódio no organismo. Uma vaca consome 60 gramas de sal por dia, enquanto um ser humano não passa de 12 gramas diárias. Como não encontram sal na natureza, elas retiram a substância das próprias plantas que consomem.

A salinidade de uma barragem ou lago depende muito da evaporação. Quanto mais quente uma região, maior a evaporação da água. E, quanto maior a evaporação, maior a quantidade de sal. É por isso que as barragens situadas nas regiões mais quentes do planeta são mais salgadas do que as localizadas nos polos.

Curiosamente, os oceanos são menos salgados nas regiões próximas do Equador. A explicação é bastante simples: a quantidade de chuvas nessas regiões é maior do que o de evaporação da água do mar. Em certas regiões, o volume de água das chuvas é 22 vezes maior do que a água que evapora, tornando o mar bem menos salgado.

O mar mais salgado é o Mar Morto, no Oriente médio. O menos salgado é o Báltico, que fica na Escandinávia, Norte da Europa.

Os habitantes de países frios costumam utilizar o sal para derreter a neve das estradas e ruas no inverno. Sem o sal, as ruas se tornam escorregadias e propícias a acidentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *