25 Dados estatísticos e curiosidades sobre o Câncer

25 Dados estatísticos e curiosidades sobre o Câncer

São registrados 14,1 milhões de novos casos de câncer em todo o mundo.

As estimativas dos cientistas são bastante sombrias em relação ao número de novos casos. Eles calculam um aumento de 70% nas próximas três décadas.

A cada ano, morrem cerca de 8,2 milhões de pessoas em virtude da doença. Isso representa 13% das mortes no mundo todo.

Calcula-se que o número de pessoas que estão nesse momento convivendo com a doença é de 32,6 milhões.

Mais da metade dos novos casos estão na Ásia (54%), seguida da Europa (24,4%) e América (20,5%). Os índices de mortalidade também são maiores no continente asiático (54,8%).

O país com a maior incidência de câncer é a Dinamarca, com 338 casos por 100 mil pessoas. Em seguida estão a França, a Austrália, a Bélgica e a Noruega.

A maior parte dos casos – em torno de 57% – ocorrem em países em desenvolvimento. Os países mais pobres representam 43%.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer, o Brasil registará quase 600 mil novos casos da doença em 2 016. Os tipos mais comuns serão o de pele, próstata e mama.

Quase 30% dos novos casos de câncer no Brasil serão de melanoma, o câncer de pele. Curiosisamente, a maior incidência ocorre em cidades do interior.

Entre os homens brasileiros, os tumores mais comuns são o de próstata, pulmão e cólon. Entre as brasileiras, são o de mama, cólon e reto.

Os tipos mais comuns são o câncer de pulmão, o de mama e o de intestino. Depois deles estão o próstata, estômago, fígado, cólo de útero, esôfago e bexiga.

Os quatro principais fatores de risco são o tabagismo, a dieta e a obesidade, o álcool e o sedentarismo.

O câncer é a primeira causa da morte de cães, a segunda de gatos e a terceira de humanos.

Os estudos apontam uma relação muito grande entre o excesso de peso e vários tipos de cânceres, como o cólon, reto, mama, ovário, esôfago e endométrio.

Câncer é um termo que designa mais de 100 doenças com uma característica principal: a proliferação descontrolada de células, que leva à formação de um tecido anormal. Ele geralmente começa com apenas uma única célula com mutações no DNA.

Alguns tipos de cânceres não formam tumores, como é o caso da leucemia.

Sarcomas são tumores malignos dos tecidos moles que podem surgir em cartilagens, ossos, vasos sanguíneos, gordura e músculos. São mais frequentes em crianças e adolescentes. Já os carcinomas são tumores malignos com origem nas células epiteliais ou glandulares, compreendendo os cânceres de mama, pulmão, bexiga e ovários, entre outros. Já os linfomas são os tumores do sistema linfático.

Em torno de 16% dos casos de câncer no mundo todo são provocados por agentes infecciosos como vírus ou bactérias. Um bom exemplo é a bactéria Heliobacter pilori, responsável por uma grande parcela dos tumores de estômago.

Algumas profissões tornam as pessoas mais propensas a desenvolver certos tipos de cânceres. É o caso dos pilotos de avião que, devido à alta exposição aos raios solares, podem ter câncer de pele.

Homens também correm risco de desenvolver câncer de mama, embora a incidência seja bem menor do que nas mulheres. Nos Estados Unidos, são registradas anualmente centenas de mortes de homens em virtude da doença.

Cães podem desenvolver a habilidade de detectar certos tipos de cânceres, como o de próstata. Na maioria dos casos, a precisão deles ultrapassa os 90%.

O consumo excessivo de alimentos industrializados aumenta consideravelmente a probabilidade uma pessoa desenvolver câncer. Recentemente, foi demonstrado que carnes processadas como salames, mortadelas e bacon estão entre os mais perigosos.

Boa parte dos cânceres são curáveis se diagnosticados no início. O tipo com maior incidência de cura – algo em torno de 95% – é o de testículo.

Pessoas que praticam exercícios físicos com regularidade correm menor risco de desenvolver a doença do que as sedentárias.

Uma última curiosidade: câncer é uma palavra de origem latina para designar caranguejo.

Obs: os dados são relativos aos anos de 2 014 a 2 016.

Fontes: Wikipédia, BBC Brasil, Super Interessante, Portalsaude.gov, IG, Terra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *