20 Informações curiosas sobre a República Tcheca

20 Informações curiosas sobre a República Tcheca

A República Tcheca moderna surgiu em 1 993, com a separação da Eslováquia. Até esse ano, ambos formavam um país conhecido por Tchecoslováquia.

República Tcheca e Eslováquia viviam até o final dos anos 1 980 sob um regime comunista associado ao antigo Pacto de Varsóvia (nome pelo qual era conhecido o bloco formado pelos países comunistas do Leste europeu).

Os tchecos tentaram implantaram uma reforma política e econômica em 1 968, que entrou para a história como Primavera de Praga. Essa reforma, no entanto, não foi vista com bons olhos pelos soviéticos, que invadiram o país e reforçaram o regime comunista local.

A então Tchecoslováquia foi invadida pelas tropas nazistas na época da Segunda Guerra Mundial. Os alemães só deixaram o país depois que foram derrotados pelos soviéticos, que tiveram um importante papel na implantação do comunismo.

O governo comunista foi deposto no início da década de 1 990 através de um movimento pacífico com menos de dois meses de duração. Chamada de Revolução de Veludo, esse movimento possibilitou a abertura do país ao capitalismo e ao regime democrático. O principal líder foi o escritor Václav Havel.

A língua mais falada é o tcheco, mas há uma pequena porcentagem de falantes do alemão, do esloveno e do polonês.

O país está dividido em 14 regiões, sendo as mais conhecidas: Boêmia, Pilsen, Morávia e Silésia, Morávia e Liberec.

A capital e principal centro urbano do país é Praga. Situada na região da Boêmia, ela está entre as 10 cidades mais visadas pelo turismo no continente europeu.

As cidades mais populosas da República Tcheca são, em ordem: Praga, Brno, Ostrava, Plzen e Liberec.

A República Tcheca é um dos países com maior porcentagem de ateus do mundo. Apenas 21% dos habitantes do país declararam recentemente seguir algum tipo de religião.

Os tchecos são os maiores consumidores de cerveja do mundo (eles são loucos pela bebida). Acredite se quiser, mas comprar cerveja por lá sai tão barato quanto comprar água.

As feiras de Natal são muito comuns na Europa. Uma das mais conhecidas é a de Praga, localizada na Praça da Cidade Velha. Além de comprar souvenires, os turistas podem experimentar a gastronomia local (como um pão assado no espeto) e admirar a arquitetura local.

Existem na República Tcheca balneários onde os visitantes podem relaxar e “cuidar da saúde” imersos em cerveja. O banho é baseado em fermento de cerveja, malte e extrato de turfa. No castelo de Zábreh, é possível receber massagens, fazer peeling e tomar um banho com vinho.

Os esportes preferidos dos tchecos são o futebol e o hóquei no gelo.

O consumo é a posse de maconha são permitidos desde 2 010, desde que seja até 15 gramas. Cada residência pode cultivar até quatro pés. Com a liberação, surgiram diversas lojas especializadas, onde é oferecida uma gama de produtos derivados da maconha.

A rua mais cara de Praga – e provavelmente de todo o Leste europeu – é a rua Paris, onde estão localizadas as lojas mais sofisticadas da cidade: Dior, Prada, Gucci…

Uma das maiores atrações de Praga é uma torre em muito parecida com a Torre Eifell, de Paris. Localizada num dos pontos mais altos da cidade, ela proporciona uma vista encantadora das torres, telhados e ruas da capital tcheca.

O clima é temperado e as temperaturas abaixo de zero são comuns no país. Aliás, os tchecos só veem o sol 146 vezes por ano.

A moeda do país é a Coroa tcheca.

Personalidades tchecas mais conhecidas no Brasil: Martina Navratilova (tenista), Antonín Dvorák (compositor clássico), Leos Janacék (compositor clássico), Franz Kafka (escritor), Millan Kundera (escritor), Milos Forman (diretor de cinema), Ivan Lendl (tenista), Emil Zatopek (atleta olímpico).

Fontes: Wikipédia, Mega Curioso, O Mundo Segundo os Brasileiros, Czech Republic.com.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *