20 Fatos curiosos e surpreendentes sobre o Azerbaijão

20 Fatos curiosos e surpreendentes sobre o Azerbaijão

O Azerbaijão é um pequeno país da Ásia Central, localizado na fronteira com o Irã, a Rússia e a Armênia. Seu território é pouco maior do que o estado de Pernambuco.

O Azerbaijão possui em torno de 10 milhões de habitantes, sendo que 2 milhões estão concentrados em Baku, a capital.

A população fala o azeri, uma língua da família altaica. Fazem parte dessa família línguas como o turco e o cazaque.

O azeri é um povo de religião islâmica com fortes laços culturais com os persas e os turcos. Existem cerca de 30 milhões de azeris vivendo em países como Irã, Rússia e Geórgia. Ele também possuem comunidades na Alemanha, Canadá, Estados Unidos e Turquia.

Em virtude da influência soviética, milhares de azerbaijãos adotaram o russo como segunda língua. Além do Azerbaijão, fizeram parte da União Soviética as repúblicas do Cazaquistão, Quirguistão, Turcomenistão e Tadjiquistão, entre outras.

A principal riqueza do país é o petróleo. O Azerbaijão é um dos maiores produtores desse tipo de matéria-prima da Ásia Central.

As principais referências geográficas da região são o mar Cáspio e as montanhas do Cáucaso. A Cordilheira do Cáucaso é uma cadeia de montanhas entre o mar Cáspio e o mar Negro. A montanha mais alta é o monte Elbrus, na fronteira entre Rússia e Geórgia.

Maior cidade do Azerbaijão, Baku fica às margens do mar Cáspio. Considerado o maior lago do mundo, o Cáspio banha partes do Irã, Turcomenistão, Cazaquistão, Rússia e Azerbaijão.

As principais atividades econômicas no mar Cáspio são a exploração de petróleo – principalmente na costa do Azerbaijão – e a pesca. O peixe mais visado pelos pescadores é o esturjão, que fornece as ovas para a indústria do caviar (uma atividade que diminuiu bastante em virtude da pesca ilegal).

O Azerbaijão conquistou a sua independência em 1 991 com o fim da União Soviética. É oficialmente chamado de República Democrática do Azerbaijão.

O país possuiu duas regiões autônomas: Nakhitchevan e Nagorno-Karabakh. Desde 1 992, a região de Karabakh é disputada por Azerbaijão e Armênia. Detalhe: a maior parte da sua população é constituída de armênios, seguidores da Igreja Apostólica Armênia.

O Azerbaijão é membro de uma comunidade supranacional chamada Comunidade dos Estados Independentes, uma espécie de comunidade econômica formada por ex-membros da União Soviética (as exceções são a Letônia, Estônia e Lituânia).

O país também é Estado-membro do Conselho da Europa, instituição internacional da qual fazem parte países da Europa Ocidental, Europa Oriental e parte da Ásia Central. O Conselho da Europa visa a estabilidade político-social, o desenvolvimento democrático e a defesa dos Direitos Humanos nos Estados associados.

As ligas de futebol da Armênia, Geórgia e Azerbaijão são associadas à UEFA – União das Federações Europeias de Futebol. A seleção do Azerbaijão costuma disputar as eliminatórias da Eurocopa com grandes potências do futebol como Ucrânia, Rússia e outras.

Por estar situado próximo à superfície, o petróleo é extraído com facilidade nesse país. O mais interessante é que em alguns pontos, ele simplesmente “aflora” no solo. Por falar nisso…

Uma das coisas que mais chamam a atenção dos turistas estrangeiros é a quantidade de torres de petróleo ao longo da costa do Azerbaijão no mar Cáspio. De tão antigas, algumas estão praticamente enferrujadas ou caindo aos pedaços.

Com a intenção de atrair mais turistas, o governo local costuma investir milhões de dólares em publicidade. Propagandas que despertam a curiosidade sobre o Azerbaijão são vistas até durante os jogos da UEFA. Além disso, ele está modernizando grande parte da orla do Cáspio. Em Baku, novos shoppings, museus e hotéis vêm aos poucos mudando a paisagem local.

As mais curiosas atrações do Azerbaijão são os vulcões de lama. Existem centenas deles que, devido à atividade vulcânica na região, expelem lama quente e borbulhante. Ocasionalmente, alguns explodem, espalhando esse tipo de material em todo o seu entorno.

A carne de carneiro é uma das mais consumidas no país. É ingrediente principal de pratos típicos como o lavengi (carne – que também pode ser de peixe ou frango – recheada com ervas e nozes), buglama (cozido de carneiro e vegetais que, dependendo da época pode levar damascos e cerejas) e govurma (carneiro frito em manteia com especiarias e frutas).

Uma última curiosidade: o PIB do Azerbaijão cresceu “apenas” 182% na última década. É um dos maiores crescimentos do mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *