20 Fatos e peculiaridades de Seul, a capital da Coréia do Sul

20 Fatos e peculiaridades de Seul, a capital da Coréia do Sul

Com 10 milhões de habitantes, Seul é a capital e cidade mais populosa da Coreia do Sul.

A região metropolitana da capital coreana engloba 29 cidades, sendo Seul, Incheon, Suwon e Seongnam as mais populosas. Detalhe: ela possui 25 milhões de habitantes, sendo uma das metrópoles mais povoadas do planeta.

O bairro mais populoso de Seul é Songpa-gu, seguido de Gangseo-gu e Gangnam-gu. Este último é citado na música Gangnam Style, do rapper sul-coreano Psy. Uma observação: “gu” refere-se ao distrito com governo próprio.

Gangnam é também o bairro mais elegante e caro da capital coreana. Ele concentra grande parte do comércio de alto luxo – Louis Vuiton, Dolce & Gabanna, Prada etc – e dos mais sofisticados cafés e casas noturnas locais.

Além de abrigar um comércio de altíssimo luxo, Gangnam é endereço do principal centro financeiro da cidade. Possui escritórios de algumas das maiores multinacionais instaladas na Coreia do Sul, como Microsoft, Google, IBM, Toyota…

A cidade é atravessada pelo rio Han. Outrora um dos mais poluídos do continente asiático, ele foi despoluído e teve vários trechos transformados em áreas de lazer. É ele quem abastece a população de Seul.

Com 123 andares, o Lotte World Tower não é apenas o maior edifício de Seul, é o maior da Coreia do Sul.

A Coreia do Sul é o país mais conectado do mundo. Seul é uma cidade totalmente plugada. A tecnologia está em todos os cantos. A velocidade de internet de lá é três vezes superior à média global.

Seul é uma cidade que funciona 24 horas por dia. Para se ter uma ideia, os shoppings costumam abrir até altas horas da madrugada. De cabelereiro a posto de gasolina, de minimercado a mercado de rua, boa parte do comércio quase não fecha. A propósito, muitos bares costumam fechar com o raiar do sol.

É possível tomar água em quase todos os estabelecimentos. Bares e restaurantes servem água de graça para os clientes ou simplesmente para quem quiser pedir. Muitos restaurantes também servem chá de graça.

Uma das coisas que mais chama a atenção dos turistas estrangeiros na capital e em muitas cidades da Coreia do Sul é a quantidade de anúncios de produtos de beleza e cirurgiões plásticos. Isso porque os coreanos usam muito cosmético, inclusive os homens.

Assim como em Tóquio, a capital japonesa, muitas ruas de Seul não possuem calçadas. Os pedestres são obrigados a disputar espaço com os carros e tomar muito cuidado com o fluxo de veículos por causa disso.

Uma das ruas mais curiosas de Seul fica do bairro de Myeongdong e é totalmente dedicada ao “manhwa”, a versão coreana do que nós brasileiros conhecemos como mangá (histórias em quadrinhos). Assim que entra nessa rua, o visitante se depara com diversos cartazes sobre o assunto. Um dos seus pontos mais interessantes é um museu sobre os quadrinhos.

A vizinha cidade de Suwon abriga um museu muito curioso: o Museu Haewoojae, totalmente dedicado à privada. Além de conhecer os diferentes tipos de “tronos” ao redor do mundo, o visitante pode deparar com representações de pessoas fazendo cocô das mais inusitadas formas. Um detalhe: o prédio do museu possui formato de privada.

Localizado na região metropolitana de Seul, o Aeroporto Internacional de Incheon foi eleito o segundo melhor aeroporto do mundo. Ele dispõe de jardim, cinemas, hotel e um centro comercial que imita uma cidade do interior da Coreia do Sul.

Por falar em aeroporto, você sabia que a rota aérea mais movimentada do mundo é Seul-Jeju? São nada menos que 10 milhões de passageiros por ano. A província autônoma de Jeju fica no extremo sul da península coreana. Ela é o principal destino turístico de verão dos coreanos.

Com mais de 12 milhões de visitantes estrangeiros por ano, Seul é a 10a cidade mais procurada do mundo. A maioria dos turistas é composta de chineses, taiwaneses e japoneses.

Seul está localizada a menos de 200 quilômetros da fronteira com a militarizada Coreia do Norte. Caso houvesse um conflito entre as duas Coreias, a capital sul-coreana seria uma alvo fácil. Inclusive de prováveis ogivas nucleares.

 

Fontes: Wikipédia, Mundo Estranho, Bom Dia Seul, G1.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *